segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Ser Psicopedagoga é...

Ser Psicopedagoga é ...
Amar o aprender
Amar o aprendente de forma especial
Ter prazer em proporcionar um ambiente adequado à aprendizagem
E abrir caminhos ao saber
E saber que todo ser é capaz de aprender
Também é aprender com que aprende 
E adentrar em caminhos nunca percorridos antes
E encontrar o modo de cada um aprender
Fazer da aprendizagem uma grande aventura
E caminhar junto do aprendente até que ele possa caminhar sozinho
E encontre-se no seu próprio lugar de aprendente.

Elida Canuto
Psicopedagoga

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Toda Criança é especial!

Toda criança tem sua história, seu mundo, seu valor. Cabe a nós, educadores , pais e Psicopedagogos perceber quais as suas habilidades, seus sonhos e desejos. A forma como cada um aprende, não o exclui , mas nos inclui em mundos diferentes. As crianças com seus diferentes modos de aprender nos ensina a aprender a ensinar.
Elida Canuto
Psicopedagoga/Psicanalista

Somos Todos Diferentes - Filme Completo

Toda criança tem sua história, seu mundo, seu valor. Cabe a nós, educadores , pais e Psicopedagogos perceber quais as suas habilidades, seus sonhos e desejos. A forma como cada um aprende, não o exclui , mas nos inclui em mundos diferentes. As crianças com seus diferentes modos de aprender nos ensina a aprender a ensinar.
Elida Canuto
Psicopedagoga/Psicanalista
Vamos juntos lançar uma campanha para pleitear a INCLUSÃO E O RECONHECIMENTO dos alunos com TDAH na rede de ensino brasileira, já que o MEC não estabeleceu nenhuma política pública para eles.
Você, professor, que apoia a Inclusão desses alunos e precisa de mais capacitação para lidar com o TDAH, REIVINDIQUE aqui neste post.
www.tdah.org.br
Foto: Vamos juntos lançar uma campanha para pleitear a INCLUSÃO E O RECONHECIMENTO dos alunos com TDAH na rede de ensino brasileira, já que o MEC não estabeleceu nenhuma política pública para eles.
Você, professor, que apoia  a Inclusão desses alunos e precisa de mais capacitação para lidar com o TDAH, REIVINDIQUE aqui neste post.
www.tdah.org.br
! Tire suas dúvidas e faça sugestões!
A Psicopedagogia é importante no momento em que a aprendizagem está em questão, trazendo novos significados ao aprenderensinar, promovendo a autoria do aprendente e a dinâmica do ensinante.
Elida Canuto
Psicanalista/Psicopedagoga por convicção!

Código de Etica- ABPp

Ética-ABPp


CÓDIGO DE ÉTICA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOPEDAGOGIA - ABPp
Reformulado pelo Conselho Nacional e Nato do biênio 95/96

CAPÍTULO I - DOS PRINCÍPIOS

Artigo 1º
A psicopedagogia é um campo de atuação em Saúde e Educação que lida com o processo de aprendizagem humana; seus padrões normais e patológicos, considerando a influência do meio _ família, escola e sociedade _ no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da psicopedagogia.
Parágrafo único
A intervenção psicopedagógica é sempre da ordem do conhecimento relacionado com o processo de aprendizagem
Artigo 2º
A Psicopedagogia é de natureza interdisciplinar. Utiliza recursos das várias áreas do conhecimento humano para a compreensão do ato de aprender, no sentido ontogenético e filogenético, valendo-se de métodos e técnicas próprios.
Artigo 3º
O trabalho psicopedagógico é de natureza clínica e institucional, de caráter preventivo e/ou remediativo.
Artigo 4º
Estarão em condições de exercício da Psicopedagogia os profissionais graduados em 3º grau, portadores de certificados de curso de Pós-Graduação de Psicopedagogia, ministradoem estabelecimento de ensino oficial e/ou reconhecido, ou mediante direitos adquiridos, sendo indispensável submeter-se à supervisão e aconselhável trabalho de formação pessoal.
Artigo 5º
O trabalho psicopedagógico tem como objetivo: (i) promover a aprendizagem, garantindo o bem-estar das pessoas em atendimento profissional, devendo valer-se dos recursos disponíveis, incluindo a relação interprofissional; (ii) realizar pesquisas científicas no campo da Psicopedagogia.

CAPÍTULO II - DAS RENPONSABILIDADES DOS PSICOPEDAGOGOS

Artigo 6º

São deveres fundamentais dos psicopedagogos:
A) Manter-se atualizado quanto aos conhecimentos científicos e técnicos que tratem o fenômeno da aprendizagem humana;
B) Zelar pelo bom relacionamento com especialistas de outras áreas, mantendo uma atitude crítica, de abertura e respeito em relação às diferentes visões do mundo;
C) Assumir somente as responsabilidades para as quais esteja preparado dentro dos limites da competência psicopedagógica;
D) Colaborar com o progresso da Psicopedagogia;
E) Difundir seus conhecimentos e prestar serviços nas agremiações de classe sempre que possível;
F) Responsabilizar-se pelas avaliações feitas fornecendo ao cliente uma definição clara do seu diagnóstico;
G) Preservar a identidade, parecer e/ou diagnóstico do cliente nos relatos e discussões feitos a título de exemplos e estudos de casos;
H) Responsabilizar-se por crítica feita a colegas na ausência destes;
I) Manter atitude de colaboração e solariedade com colegas sem ser conivente ou acumpliciar-se, de qualquer forma, com o ato ilícito ou calúnia. O respeito e a dignidade na relação profissional são deveres fundamentais do psicopedagogo para a harmonia da classe e manutenção do conceito público.

CAPÍTULO III-  DAS RELAÇÕES COM OUTRAS PROFISSÕES
Artigo 7º
O psicopedagogo procurará manter e desenvolver boas relações com os componentes das diferentes categorias profissionais, observando, para este fim, o seguinte:
A) Trabalhar nos estritos limites das atividades que lhes são reservadas;
B) Reconhecer os casos pertencentes aos demais campos de especialização; encaminhando-os a profissionais habilitados e qualificados para o atendimento;

CAPÍTULO IV - DO SIGILIO


Artigo 8º
O psicopedagogo está obrigado a guardar segredo sobre fatos de que tenha conhecimento em decorrência do exercício de sua atividade.
Parágrafo Único
Não se entende como quebra de sigilio, informar sobre cliente a especialistas comprometidos com o atendimento.
Artigo 9º
O psicopedagogo não revelará, como testemunha, fatos de que tenha conhecimento no exercício de seu trabalho, a menos que seja intimado a depor perante autoridade competente.
Artigo 10º
Os resultados de avaliações só serão fornecidos a terceiros interessados, mediante concordância do próprio avaliado ou do seu representante legal
Artigo 11º
Os prontuários psicopedagógicos são documentos sigilosos e a eles não será franqueado o acesso a pessoas estranhas ao caso.

CAPÍTULO V - DAS PUBLICAÇÕES CIENTIFICAS

Artigo 12º
Na publicação de trabalhos científicos, deverão ser observadas as seguintes normas:
a) A discordância ou críticas deverão ser dirigidas à matéria e não ao autor;
b) Em pesquisa ou trabalho em colaboração, deverá ser dada igual ênfase aos autores, sendo de boa norma dar prioridade na enumeração dos colaboradores àquele que mais contribuir para a realização do trabalho;
c) Em nenhum caso, o psicopedagogo se prevalecerá da posição hierarquia para fazer publicar em seu nome exclusivo, trabalhos executados sob sua orientação;
d) Em todo trabalho científico deve ser indicada a fonte bibliográfica utilizada, bem como esclarecidas as idéias descobertas e ilustrações extraídas de cada autor.

CAPÍTULO VI - DA PUBLICIDADE PROFISSIONAL

Artigo 13º
O psicopedagogo ao promover publicamente a divulgação de seus serviços, deverá faze-lo com exatidão e honestidade.
Artigo 14º
O psicopedagogo poderá atuar como consultor científico em organizações que visem o lucro com venda de produtos, desde que busque sempre a qualidade dos mesmos.

CAPÍTULO VII - DOS HONORÁRIOS

Artigo 15º
Os honorários deverão ser fixados com cuidado, a fim de que representem justa retribuição ao serviços prestados e devem ser contratados previamente.

CAPÍTULO VIII - DAS RELAÇÕES COM SAÚDE E EDUCAÇÃO

Artigo 16º
O psicopedagogo deve participar e refletir com as autoridades competentes sobre a organização, implantação e execução de projetos de Educação e Saúde Pública relativo às questões psicopedagógicas.

CAPÍTULO IX - DA OBSERVÂNCIA E CUMPRIMENTO DO CÓDIGO DE ÉTICA

Artigo 17º
Cabe ao psicopedagogo, por direito, e não por obrigação, seguir este código.
Artigo 18º
Cabe ao Conselho Nacional da ABPp orientar e zelar pela fiel observância dos princípios éticos da classe.
Artigo 19º
O presente código só poderá ser alterado por proposta do Conselho da ABPp e aprovado em Assembléia Geral.

CAPÍTULO X - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 20º
O presente código de ética entrou em vigor após sua aprovação em Assembléia Geral, realizada no V Encontro e II Congresso de Psicopedagogia da ABPp em 12/07/1992, e sofreu a 1ª alteração proposta pelo Congresso Nacional e Nato no biênio 95/96, sendo aprovado em 19/07/1996, na Assembléia Geral do III Congresso Brasileiro de Psicopedagogia da ABPp, da qual resultou a presente solução.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Planeta Laranja - Adoçando esse Mundo Amargo: Deficit TDAH Adulto e diagnósticos

Planeta Laranja - Adoçando esse Mundo Amargo: Deficit TDAH Adulto e diagnósticos: ESPREMENDO A LARANJA: Como um quarentão portador de TDAH , tenho a obrigação de postar isso. As minhas maiores dificuldades na vida têm rela...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

sábado, 24 de agosto de 2013

Neurociências em benefício da Educação!: Hábitos que podem prejudicar seu cérebro

Neurociências em benefício da Educação!: Hábitos que podem prejudicar seu cérebro: Temos muitas manias e hábitos que executamos quase que diariamente. No entanto, temos  tendência a não reconhecer  que esses hábitos podem ...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

sábado, 10 de agosto de 2013

Psicopedagogia- Aprendizagem em Foco: TDAH

Psicopedagogia- Aprendizagem em Foco: TDAH: Estudo liga falha genética no cérebro a déficit de atenção Pesquisa abre caminho para desenvolver novos tratamentos para problema O TDAH é ...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

sábado, 13 de julho de 2013

Psicopedagogia- Aprendizagem em Foco: TDAH

Psicopedagogia- Aprendizagem em Foco: TDAH: Estudo liga falha genética no cérebro a déficit de atenção Pesquisa abre caminho para desenvolver novos tratamentos para problema O TDAH é ...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Neurociências em benefício da Educação!: O mundo secreto do inconsciente

Neurociências em benefício da Educação!: O mundo secreto do inconsciente: Ele ocupa a maior parte do cérebro e controla quase tudo o que fazemos. Mas a ciência já sabe como domá-lo e usar os poderes dele para vár...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

Neurociências em benefício da Educação!: Transtorno Global do Desenvolvimento

Neurociências em benefício da Educação!: Transtorno Global do Desenvolvimento: Fonte: Revista Ciranda da Inclusão- ano II número 20      A classificação Estatística Internacional de Doenças relacionadas à S...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

Neurociências em benefício da Educação!: Escrita espelhada, o que fazer?

Neurociências em benefício da Educação!: Escrita espelhada, o que fazer?:     Quando as crianças iniciam a escrever suas primeiras palavras ou números, a sensação dos pais é indescritível. É um processo de au...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

Neurociências em benefício da Educação!: Macrocefalia e Microcefalia

Neurociências em benefício da Educação!: Macrocefalia e Microcefalia: Por  Francieli Pires de Melo,  Lilian Sandra Bartzen,  Tatiele Reinheimer e  Verônica Dalla Costa Flores Tamanho Normal da Cabeça  (Per...

Entre em contato! Tire suas dúvidas e faça sugestões!

domingo, 16 de junho de 2013

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O corpo na aprendizagem

“ A aprendizagem dramatiza-se no corpo a partir da experiência de prazer pela autoria. Sendo a autoria objeto de toda intervenção psicopedagógica e sendo a psicomotricidade a que se ocupa do saber sobre o corpo e seus modos de valer-se, vamos vendo outros laços fraternais” (Alícia Fernández)

Por que pensar Psicopedagogicamente?

Porque a Psicopedagogia dá significados , ou melhor, se propõe a mostrar o valor da aprendizagem e do ser aprendente.Sem o olhar , sem o pensar psicopedagógico, nossas escolas continuarão sendo apenas lugares em que muitos frequentam , mas não encontram sentido, pois pra muitos que tem dificuldades de aprendizagem e/ou potencialidades não descobertas, ficarão no anonimato. O psicopedagogo/a , a Psicopedagogia amplia olhares, envolve os aprendentes, ensina a pensar...

Élida Canuto

Pensar Psicopedagogicamente

Pensar Psicopedagogicamente é pensar sobre as novas formas de ensinar e aprender.
É ver o aprender como um processo de conquistas e descobertas que cada indivíduo tem que trilhar.
Pensar Psicopedagogicamente é refletir sobre si e sobre o outro, sobre sua história, sua vida, seu ser...
É caminhar pelos recônditos do inconsciente  e saber que somos eternos aprendizes...

Élida Canuto

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Neurociências em benefício da Educação!: Eu sei, mas não devia. (Marina Colasanti)

Neurociências em benefício da Educação!: Eu sei, mas não devia. (Marina Colasanti): Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não...

Neurociências em benefício da Educação!: Eu sei, mas não devia. (Marina Colasanti)

Neurociências em benefício da Educação!: Eu sei, mas não devia. (Marina Colasanti): Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não...

Neurociências em benefício da Educação!: Manual dos Transtornos Escolares

Neurociências em benefício da Educação!: Manual dos Transtornos Escolares:     Ao falar sobre neurociências e educação, falamos sobre padrões de comportamento humano: como os alunos aprendem, de que modo pod...

Neurociências em benefício da Educação!: Neurociência, formação de professores e práticas p...

Neurociências em benefício da Educação!: Neurociência, formação de professores e práticas p...:  Arnaldo Nogaro [1] RESUMO : A formação de professores tem se mantido como tema de estudo e de reflexão, isto demonstra qu...

Neurociências em benefício da Educação!: Manual dos Transtornos Escolares

Neurociências em benefício da Educação!: Manual dos Transtornos Escolares:     Ao falar sobre neurociências e educação, falamos sobre padrões de comportamento humano: como os alunos aprendem, de que modo pod...

sábado, 16 de março de 2013

Olhar Psicopedagógico- Um modo diferente de ver o ensinante e o aprendente

A Psicopedagogia se propõe a olhar o ser aprendente de forma a perceber não apenas suas dificuldades de aprendizagem, mas as possibilidades que exitem. São diversas as formas de aprender e o ensinante precisa encontrar as possibilidades de ensinagem para que alcance os demais aprendentes.
A Psicopedagogia atua nas diversas modalidades de aprendizagem e para tanto se propõe a criar mecanismos para que todos aprendam do jeito que podem aprender.

Elida Canuto
Psicopedagoga

Neurociências em benefício da Educação!: A fábula do porco - espinho.

Neurociências em benefício da Educação!: A fábula do porco - espinho.: Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em ...

domingo, 3 de março de 2013

Tornar-se autor...

"E na busca pelo encontro com o conhecimento que o ser constrói a sua história. E fazendo que se percebe o prazer da autoria, da conquista triunfante de apropriar-se do saber como de si mesmo."

Elida Canuto

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Cada aprendente tem seu idioma!

"Entre quem ensina e quem aprende abre-se um campo de produção de diferenças, pois cada um de nós tem uma modalidade de aprendizagem, um idioma próprio para tomar do outro e fazê-lo seu, para entregar-mostrar-lhe um pouco de nossa obra." (Alicia Fernández)

Psicopedagogia é mais...

"Ter compaixão é possuir um entendimento maior das fragilidades humanas. É quando nos tornamos mais realistas, menos exigentes e mais flexíveis com as dificuldades alheias." Hammed

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Neurociências em benefício da Educação!: Compreender o Estudante com Síndrome de Asperger -...

Neurociências em benefício da Educação!: Compreender o Estudante com Síndrome de Asperger -...: Por Paula Teles        As crianças com Síndrome de Asperger (SA) representam um desafio ao meio educativo. São vistas como excêntricas e p...

Neurociências em benefício da Educação!: SÍNDROME DE ASPERGER

Neurociências em benefício da Educação!: SÍNDROME DE ASPERGER: 10 COISAS QUE UMA CRIANÇA COM  SÍNDROME DE ASPERGER GOSTARIA QUE VOCÊ SOUBESSE...

Neurociências em benefício da Educação!: Síndrome de Asperger: O que é isso?

Neurociências em benefício da Educação!: Síndrome de Asperger: O que é isso?:  Ana Lúcia Hennemann Num primeiro momento, para alguns, a Síndrome de Asperger é retratada como Autismo e, logo, surge a imagem de um ser...

Neurociências em benefício da Educação!: Ensinar e aprender...

Neurociências em benefício da Educação!: Ensinar e aprender...: Para a eficácia de uma aprendizagem pautada nos Quatro Pilares da Educação (Delors,1999): “aprender a conhecer” , “aprender a fazer” ,...

Problemas de Aprendizagem


Os Problemas de Aprendizagem tem muitas vezes, relação direta com a falta de atenção dos pais. Muito mais que se possa imaginar, acompanhar os filhos na tarefa de casa é um antídoto contra a baixa auto-estima e demais dificuldades.
Elida Canuto
Psicopedagoga

Encontre uma Psicopedagoga em Caruaru-PE!


Neurociências em benefício da Educação!: Uma visão interior do autismo

Neurociências em benefício da Educação!: Uma visão interior do autismo: Eu quero que você pense sobre as diferentes formas de pensar Temple Grandin Tradução de Jussara Cunha de Mello   A FALTA DA ...

Neurociências em benefício da Educação!: Uma visão interior do autismo

Neurociências em benefício da Educação!: Uma visão interior do autismo: Eu quero que você pense sobre as diferentes formas de pensar Temple Grandin Tradução de Jussara Cunha de Mello   A FALTA DA ...